Cheiros & Aromas! Partilha os teus "cheirinhos"...

15
Mar 09

Perfume sem Nome

Sempre que, de outro, eu aspiro,
O perfume suave, não identificado,
De muitas flores que ornam altares,
Sinto a alma embriagada,

E em    vapores transportada,
Ao cenário dum passado remoto,
Onde presa a um corpo amado,
Sentia, de suas mãos, a quentura,

Levantando-me os cabelos negros,
Expondo meu pescoço arrepiado,
E a ávida boca sorvia, dos poros,
O vinho neles originado.

Os dedos nervosos erguiam os véus,
Tateando o caminho do portal do céu,
Penetrando, atrevidamente,
O átrio sagrado do prazer,

E nus, como havíamos nascido,
Dançávamos exótica dança do ventre,
Regida por ele, hábil maestro,
Fazendo de mim seu corpo de baile,

Que hoje só existe na recordação,
E, vez por outra, no sonho toma forma,
Quando sinto o perfume sem nome.


Publicado no site: O Melhor da Web em 15/03/2009

publicado por Marina às 17:13
sinto-me:
tags:

cheirinhos:
o poema está bem enquadrado na temática do blog, para mim o perfume é como um acessório , sem ele estamos incompletos para sair...ou seja falta algo.
terceiraidadeyafectos a 24 de Abril de 2009 às 11:47

Março 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
14

19
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


arquivos
2009

pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO